Pessoas

Fausto Figueiredo

Figueiredo é a figura odiosa por detrás da criação e desenvolvimento da famosa estância balnear portuguesa.

by  Olivia Sousa

Conteúdo
Fausto Figueiredo

Biografia e percurso pessoal

Fausto Cardoso de Figueiredo nasceu no final do século XIX na pequena aldeia portuguesa de Selorico da Beira. Fausto era filho do Professor António Cardoso de Figueiredo. A sua mãe Maria José, nascida de Almeida, era a responsável pela casa.

Ainda jovem, Fausto mudou-se para Lisboa e licenciou-se em Farmácia pela Escola Superior de Farmácia de Lisboa.

Já durante os seus estudos, o jovem começou a trabalhar na farmácia de Alberto Veiga. O seu professor e patrono foi José Ferreira do Amaral, cujo consultório se situava no mesmo edifício da farmácia.

Em maio de 1910, Fausto casa com a filha do seu mentor, Clotilde Hermenegilde Ferreira do Amaral.

Em 1913, Fausto entra para a loja maçónica e toma aí o nome de Adamastor. Mas em 1922 foi expulso por não pagar a quota.

Aquando da criação da República Portuguesa, Fausto Figueiredo era vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais (de 21 de março de 1911 a 3 de junho de 1913), mas exerceu as funções de presidente.

E já a partir de 29 de julho de 1913, Fausto tornou-se presidente interino, cargo que exerceu até 31 de dezembro de 1913, e depois de 16 de junho de 1919 a 31 de dezembro de 1922.

Posteriormente, Figueiredo foi presidente do conselho de administração da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses da Beira Alta, a sua região natal. Foi também diretor da Companhia de Cimentos Brancos e administrador da Companhia de Estudos Técnicos.

Considerou como obra da sua vida o desenvolvimento da estância do Estoril e a criação de um destino popular para o turismo nacional e internacional.

Fausto Figueiredo faleceu a 5 de abril de 1950, na sua própria casa, na rua que recebeu o seu nome, a Avenida Fausto de Figueiredo.

Momentos importantes da sua vida

Ainda em Lisboa, no início da sua carreira, Fausto interessou-se pela política. O jovem farmacêutico aderiu ao Partido Liberal Renascentista, tornando-se mais tarde um dos membros do Conselho de Administração.

O nome de Figueiredo está sobretudo associado ao Estoril e ao desenvolvimento turístico desta estância. Durante séculos, o Estoril foi apenas uma pitoresca aldeia piscatória, uma das muitas existentes na costa portuguesa. Fausto escreveu:

O meu sonho de toda a vida é transformar o Estoril.

Figueiredo veio para o Estoril no início do século XX. Nessa altura, já tinha trocado o seu emprego como farmacêutico por um cargo de gestão na companhia de caminhos-de-ferro portugueses. Fausto viajou muitas vezes para o estrangeiro, tendo mesmo vivido em França durante alguns anos. Assim, apercebeu-se imediatamente do potencial turístico do Estorial e estabeleceu o objetivo de transformar o local numa popular estância de férias.

Apesar de, na altura, Portugal estar dependente do capital estrangeiro, Fausto apresentou um plano para construir um Estoril revitalizado. A empresa Figueiredo & Sousa, que o empresário fundou com o seu genro, Augusto Carreira de Sousa, está a comprar terrenos na Quinta do Viana (antiga propriedade de José Viano da Silva Carvalho), onde se pretende criar um paraíso para turistas portugueses e estrangeiros. O plano ilustrado fornecido por Figueiredo incluía várias estações: climatológica, termal, marítima e desportiva. Previa-se um teatro, um casino, um palácio desportivo, hotéis, um complexo termal e um complexo balnear num amplo terraço junto ao mar.

Em 1915, Figueiredo, apesar das complicações que surgiram após a Primeira Guerra Mundial, criou a "Sociedade Estoril". Em 1926, foi graças a esta organização que a linha férrea que conduzia à baía de Cascais foi electrificada.

A nova estância abriu ao público em 1918. A construção ainda não estava concluída, mas a venda de terrenos para construção já estava em pleno andamento. Passados 5 anos, foi criada a empresa "Estoril-Plage" para gerir a estância.

O ano de 1928 fica marcado pela entrada em funcionamento da nova estação ferroviária da região, a Caix do Sodre.

Em agosto de 1930, foi inaugurado o Hotel Palácio e o projeto recebeu uma infraestrutura de nível internacional. Foi um dos primeiros locais onde o futuro Imperador do Japão, o Príncipe Hirohito, e a sua jovem esposa ficaram alojados durante a sua lua de mel.

Hotel Palácio

Hotel Palacio Estoril Portugal

foto da Internet

A Costa do Sol tornou-se um importante destino turístico internacional. A estância internacional era particularmente popular entre os estrangeiros, especialmente após a ocupação de França em 1940.

Após o conflito de 1946, Juan, Conde de Barcelona, escolheu o Estoril para viver no exílio. Umberto II, o último rei de Itália, apelidado de "maio", viveu em Cascais. Carol II, que foi rei da Roménia entre 1930 e 1940, viveu no Estoril até ao fim dos seus dias.

Áreas de atividade em que Fausto Figueiredo actuou

Na política, Figueiredo foi um seguidor e apoiante de João Franco. Posteriormente, aderiu ao republicanismo democrático. Tornou-se deputado do Partido Republicano Português. Inicialmente, limitou-se a colaborar com este partido, após a proclamação da República Portuguesa e durante a Primeira República Portuguesa.

Fausto apoiou a política de Afonso Costa. Mais tarde, fascina-se com o regime político do Estado Novo (na altura, exercia advocacia na Câmara Corporativa do Conselho de Comércio Externo da Comissão de Propaganda do Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde representou a indústria hoteleira e outras organizações turísticas de 1935 a 1949).

Em 1936, Fausto promulgou um parecer sobre a urbanização da Costa do Sol.

No total, entre 1935 e 1938, durante a 1ª Assembleia Legislativa, enquanto membro da 14ª Secção de Turismo, Figueiredo publicou 3 pareceres:

  • 7/I - "Sobre a Urbanização da Costa do Sol";
  • 94/I - "Sobre a expedição e registo de veículos automóveis";
  • 100/I - "Sobre a alteração da constituição do Conselho Superior de Estradas".

Durante o período da II Assembleia Legislativa (de 1938 a 1942), Fausto é já membro da 11ª Secção - Transportes e Turismo. Durante este período publica dois pareceres:

  • 11/II - "Sobre a navegação na colónia";
  • 26/II - "Sobre a autorização ao governo para lançar um imposto sobre os lucros extraordinários de guerra".

Durante a 3ª Assembleia Legislativa (1942-1945), voltou a integrar a 11ª secção - "Transportes e Turismo". Elaborou 2 pareceres:

  • 7/III - "Sobre a distribuição dos lucros líquidos anuais das companhias de navegação";
  • 23/III - "Sobre a coordenação dos transportes terrestres".

Na IV Assembleia Legislativa (de 1945 a 1949), Figueiredo é membro da mesma 11ª Secção de Viação e Turismo, mas não emite qualquer parecer durante este período.

Para além do Hotel Palácio, Figueiredo participa com arquitectos franceses na criação do Hotel do Parque. Nesta altura já tem no seu arsenal a sociedade Estoril Plage. Figueiredo inicia a transformação da região. Cria infra-estruturas - campos de golfe, casinos, campos de ténis, campos de tiro, parques. Promove constantemente a organização de vários eventos desportivos. Graças aos seus esforços, o Estoril está a tornar-se uma estância de nível internacional. Foi graças à iniciativa de Fausto Figueiredo que a linha de caminho de ferro foi dividida entre a Sociedade Estoril Plage e a Sociedade Estoril independente, criando novas oportunidades para o turismo. Esta situação criou novas oportunidades para o turismo.

Vista para o mar do Estoril

Vista para o mar do Estoril

foto da Internet

Um dos feitos mais famosos de Fausto Cardoso de Figueiredo foi o seu envolvimento na criação do maior casino da Europa, o Casino Estoril. Este foi concebido como uma das formas de atrair turistas. A primeira pedra foi lançada em 1916, mas a inauguração propriamente dita só aconteceu em 1927, quando a Europa já tinha recuperado um pouco dos efeitos da Primeira Guerra Mundial.

A influência e as realizações de Fausto Figueiredo

As actividades de Figueiredo levaram a que a elite europeia começasse a afluir ao Estoril para passar férias. Famílias reais e figuras públicas de renome mundial escolheram Portugal como refúgio durante a Segunda Guerra Mundial. O Estoril tornou-se a estância balnear mais cosmopolita do seu tempo.

São da autoria de Figueiredo as seguintes obras:

Estoril. Estações marítimas, climáticas, termais e desportivas, Lisboa, 1914.

Organização Turística. Dissertação apresentada ao I Congresso Nacional de Turismo em 1935. Publicado em Lisboa em 1936.

Resultados

Toda a sua vida Fausto Figueiredo sonhou em fazer do Estoril um paraíso de férias. E o seu sonho tornou-se realidade.

Figueiredo tornou-se um símbolo e parte da história portuguesa, em particular da história do Estoril e de Cascais. Existe um monumento que lhe é dedicado no jardim público do Estoril.

Perguntas Frequentes

Quando é o aniversário de Fausto de Figueiredo?

Fausto de Figueiredo nasceu a 17 de setembro de 1880.

Onde é o local de nascimento de Fausto de Figueiredo?

Fausto de Figueiredo nasceu na freguesia do Baraçal, em Celorico da Beira.

Por que é que Fausto de Figueiredo é conhecido?

Com a sua ajuda, foram abertos os casinos mais famosos da Europa - o Casino do Estoril.