Equipas

Jardim Zoológico de Lisboa

O Jardim Zoológico de Lisboa é um dos mais famosos jardins zoológicos do mundo. Em 2024, celebrou o seu 140º aniversário. É um dos locais mais bonitos da cidade, onde tanto as crianças como os adultos adoram visitar. A visita a um dos maiores e mais antigos jardins zoológicos do mundo é do interesse de turistas e portugueses.

by  Rodrigo Santos

UPD:
Conteúdo
Jardim Zoológico de Lisboa

Muitas vezes designado por Jardim Zoológico, estava originalmente localizado no Parque de São Sebastião da Pedreira. A primeira mudança ocorreu em 1894 e a segunda em 1905. A Quinta das Laranjeiras, em Sete Rios, é onde se situa o mundialmente famoso jardim zoológico.

O seu território alberga mais de 2 mil animais. São mais de 300 espécies entre mamíferos, aves, répteis e anfíbios.

Ano de fundação

1884

Número de animais

superior a 2 mil.

Número de espécies

superior a 300

Área

94 mil metros quadrados.

Número de visitantes

800 mil.

Os bilhetes custam

entre 17,10 e 27,5 euros.

Endereço

Praça Marechal Humberto Delgado, 1549-004 Lisboa, Portugal.

Horário de funcionamento

diário verão das 10:00 às 20:00 (bilheteira até às 18:15), inverno das 10:00 às 18:00 (bilheteira até às 17:15).

Telefone de contacto

+351 21 723 2900

Sítio oficial

https://www.zoo.pt

A principal missão do Jardim Zoológico, localizado em Lisboa, é preservar e criar criaturas ameaçadas de extinção e organizar actividades educativas e recreativas. O Jardim Zoológico de Lisboa recebe cerca de 800.000 visitantes por ano. É membro da Associação de Zoos da Europa. Os seus funcionários controlam as ligações genéticas entre os animais para evitar a consanguinidade.

O Jardim Zoológico de Lisboa participa em programas de intercâmbio de animais com outros jardins zoológicos, na sua maioria com crias. Os zoólogos fazem tudo o que podem para preservar as espécies ameaçadas, reduzir a probabilidade da sua degeneração e patologias genéticas.

O território do parque é enorme, com 94 mil metros quadrados. Esta área alberga 332 espécies, incluindo animais que são considerados exóticos para Lisboa. Esta lista é composta por girafas, hipopótamos, rinocerontes, crocodilos, camelos, diferentes espécies de primatas, crocodilos.

História do Jardim Zoológico de Lisboa

A ideia de criar um jardim zoológico no território de Lisboa surgiu em 1882. A informação relevante foi impressa na imprensa local em agosto. Nessa altura, não existia nenhum jardim zoológico na Península Ibérica, que contivesse representantes da flora e fauna exóticas, provenientes de diferentes países do mundo. Ao mesmo tempo, existiam jardins zoológicos em Espanha e em Portugal. Em termos de dimensão e conteúdo, nem sequer se comparam com a versão moderna do Jardim Zoológico de Lisboa.

Entrada antiga do Jardim Zoológico de Lisboa

Entrada antiga do Jardim Zoológico de Lisboa

Foto da Internet

A iniciativa de o criar foi apoiada pelo Dr. Van Der Laan, pelo Dr. Sousa Martinez e por May Figueira, o proprietário do maior aviário de Portugal na altura. Estas pessoas uniram-se para criar um jardim zoológico semelhante aos que já existiam em França e na Holanda. A ideia tinha todos os requisitos, pois Lisboa tinha uma posição geográfica favorável.

Van Der Laan, Souza Martinez e May Figueira percorreram o continente europeu, visitando jardins zoológicos situados nas capitais de diferentes países, com o objetivo de recolher informações para a concretização da sua ideia.

Depois da viagem, ficou claro que era preciso uma fonte de financiamento. O engenheiro civil Lino Bento de Souza, o segundo barão de Kessler, Frederico Luis Hermano e D. Fernando II, além de várias outras pessoas, juntaram-se ao projeto.

Em 1883, após longos preparativos e procura de fontes de financiamento, foi elaborado o projeto do Jardim Zoológico. Na fase seguinte, iniciou-se a construção das instalações necessárias.

O Jardim Zoológico de Lisboa foi aberto ao público em 28 de maio de 1884. Nessa altura, a sua coleção totalizava 1127 animais, que podiam ser vistos por todos os que comprassem bilhete.

Alguns representantes da fauna foram oferecidos à Casa Real de Portugal e a outras altas personalidades.

O público gostou muito do zoo e no ano da sua inauguração teve 170 mil visitantes.

Infelizmente, nos anos seguintes o seu número não aumentou, devido a várias dificuldades, uma das quais o mau tempo. Para resolver este problema, a direção do jardim zoológico ofereceu ao público um novo entretenimento: passeios de barco pagos no lago. As receitas suplementares permitiram estabilizar a situação financeira do parque.

Girafas no Zoológico de Lisboa

Fotografia antiga de girafas no Zoológico de Lisboa

Foto da Internet

Em 1892, devido ao inverno rigoroso, várias partes do jardim zoológico foram danificadas e dois dos seus proprietários, Dr. João Antônio Pinto e D. Maria das Dores Pinto, faleceram. A obra foi continuada por seus herdeiros.

Em 1894, ocorreu a mudança do zoológico para Palhava. A inauguração no novo local ocorreu em 13 de maio. Durante este período, a direção do jardim zoológico começou a vender e a exportar os animais de que dispunha em abundância. Esta decisão foi tomada para estabilizar a situação financeira. A Companhia Nacional de Navegação veio em auxílio do jardim zoológico, assegurando o transporte gratuito dos animais. Ao mesmo tempo, foram introduzidas novas espécies no parque.

Em 1902, entrou em funcionamento uma nova linha de elétrico com paragem no jardim zoológico. Este facto contribuiu para um aumento do número de visitantes.

O terreno que o jardim zoológico ocupava foi arrendado e o contrato expirou em 1905. Colocou-se a questão da deslocalização. Em 1905, uma das principais atracções de Lisboa foi transferida para um novo local, na Quinta das Laranjeiras.

O aspeto do jardim zoológico em 1884 e a sua versão moderna diferem bastante. Gradualmente, o número de animais que vivem no seu território aumentou, surgiram novas atracções, por exemplo, a alimentação de aves e a possibilidade de andar num funicular.

Tudo isto contribuiu para o afluxo de visitantes, bem como para a melhoria do aspeto do parque. As torres da entrada central são consideradas o seu principal símbolo. Trata-se de um monumento histórico de importância nacional. No território do jardim zoológico existe um grande número de escadas, bancos, azulejos antigos, conservados desde a sua criação.

Foi criado na Quinta das Laranjeiras, em Sete Rios, em 1905.

O parque é composto por duas zonas: uma pequena zona livre à entrada e uma zona paga. Existem três bilheteiras para a compra de bilhetes. Outras três são para os que compraram bilhetes antecipadamente e para a reentrada, por exemplo, se os visitantes decidirem sair para lanchar.

Elefante no Zoológico de Lisboa

Foto antiga de passeios de elefante no Zoológico de Lisboa

Foto da Internet

O Zoo de Lisboa está bem planeado. Foi iniciado graças a colecções particulares e a animais pertencentes à casa real. 94 mil metros quadrados de terreno arborizado - são estes os bens do Jardim Zoológico.

A principal especialidade do Jardim Zoológico de Lisboa são os primatas e os membros da família dos felinos. Acontece que a maioria dos animais que vivem no seu território são provenientes de antigas colónias, do continente africano e da Índia.

O Jardim Zoológico de Lisboa esforça-se por preservar espécies que quase desapareceram na natureza. Está empenhado na sua reprodução, no seu regresso à natureza. Organiza eventos educativos que promovem a necessidade de cuidar do ambiente.

No Jardim Zoológico de Lisboa, apenas os animais perigosos são mantidos em jaulas separadas. Todos os outros são mantidos em recintos espaçosos, divididos em zonas de acordo com o tipo de habitantes e o local de origem.

O recinto dos elefantes africanos, por exemplo, alberga suricatas. Animais em miniatura e engraçados correm para aqui e para ali, passam o tempo a brincar, escondendo-se periodicamente nas suas tocas.

As condições de manutenção dos elefantes no jardim zoológico estão próximas do seu ambiente de vida no continente africano. Os machos destes animais são solitários, pelo que lhes é dado um recinto separado. As fêmeas são mantidas em manadas, nas quais se observa uma certa hierarquia, uma espécie de matriarcado.

Jardim Zoológico de Lisboa 1947

Os tratadores do Jardim Zoológico de Lisboa certificam-se de que os animais estão felizes. Isto facilita muito a adaptação dos animais quando são libertados na natureza. O princípio da alimentação (uma das razões para a difícil adaptação na natureza) é também ajustado às condições naturais.

O recinto onde os leões são mantidos tem contrapesos para imitar a fuga das presas. As presas dos tigres estão suspensas para que possam saltar e manter a forma. Aos primatas são oferecidas caixas de puzzles com comida escondida.

Onde fica o Jardim Zoológico de Lisboa?

A morada do Jardim Zoológico de Lisboa é Praça Marechal Humberto Delgado, 1549-004 Lisboa.

Pode ser acedido pelos autocarros 16, 31, 54, 70, 96 e pelas carreiras de transportes públicos 701, 726, 746, 755 e 758.

A paragem onde deve sair chama-se Jardim Zoológico.

Como é que compro os bilhetes?

Pode comprar bilhetes para o Jardim Zoológico de Lisboa no site oficial, bem como diretamente no próprio parque, na bilheteira.

O bilhete de entrada para visitantes com idades compreendidas entre os 13 e os 64 anos custa 27, 55 euros.

A entrada para crianças com menos de 2 anos é gratuita.

Para os visitantes com idades compreendidas entre os 3 e os 12 anos, a entrada custa 17,10 euros.

Para pessoas com mais de 65 anos - 19,48 euros.

Durante a época de verão, que começa em 21.03 e termina em 20.09, o jardim zoológico está aberto das 10:00 às 20:00, com a bilheteira a fechar (incluindo para reentrada) às 18:15.

Durante a época de inverno, que começa a 21.09 e termina a 20.03, o zoo está aberto das 10:00 às 18:00 (bilheteira até às 17:15).

Residentes famosos do Jardim Zoológico de Lisboa

O território do Jardim Zoológico de Lisboa é enorme, pelo que se recomenda passar um dia inteiro a passear por ele. A navegação é simplificada por um mapa, que é fornecido à entrada.

Mapa do zoológico Lisboa

Mapa do zoológico

zoo.pt

O Jardim Zoológico de Lisboa tem um grande terrário com cobras, lagartos e tartarugas. Estas últimas nadam muito perto dos visitantes. Algumas espécies têm um pescoço tão comprido que se assemelham a cobras numa concha. O terrário contém um grande número de anfíbios e répteis.

Um dos recintos de macacos mais íngremes faz lembrar uma reserva africana. A vedação é feita de acordo com o espírito do ambiente natural.

As girafas, que posam de bom grado em frente do público e comunicam entre si, não são de menor interesse para os visitantes.

Noutro recinto, os leões descansam ao sol.

Uma das peças mais valiosas do Zoo de Lisboa são os rinocerontes brancos. Na natureza, esta espécie está em vias de extinção. Quando apareceram pela primeira vez em Lisboa, os rinocerontes brancos causaram sensação.

O zoo também alberga rinocerontes comuns, cujo aspeto faz lembrar os dinossauros.

Outra exposição valiosa é a do tigre branco. Poucos jardins zoológicos no mundo se podem gabar da presença deste animal. O Jardim Zoológico de Lisboa considera-o a sua joia. O encontro com um tigre branco causa uma impressão duradoura em todos os visitantes, sem exceção. A cor do animal é muito invulgar. É possível observar o tigre com uma aparência tão original através da rede, o principal é não esquecer as regras de segurança. Este felino, apesar do seu grande tamanho, pode parecer inofensivo para as crianças.

Tigre branco em Jardim Zoológico de Lisboa

Tigre branco em Jardim Zoológico

SCREENSHOT

Uma rede é esticada sobre o recinto dos tigres de Amur, tudo porque estes animais têm a capacidade de saltar até uma altura de sete metros. Estamos a falar dos maiores tigres do mundo, que são muito poucos na natureza devido às acções dos caçadores furtivos. As pessoas terão de fazer um grande esforço para preservar este maravilhoso animal.

O jardim zoológico alberga também uma família de chitas - um macho, uma fêmea e as suas crias, que já cresceram bastante. Uma ninhada tão grande numa família destes animais é rara na natureza. Na maioria das vezes não nascem mais de 3 gatinhos. A descendência em número de cinco peças indica que as chitas no jardim zoológico são boas.

Os representantes desta espécie são difíceis de reproduzir em condições de território limitado. Antes do acasalamento, o macho e a fêmea vivem separadamente, os seus recintos são separados por uma parede à prova de luz. Encontram-se exclusivamente para conceber a descendência.

Os gatinhos adultos serão distribuídos por outros jardins zoológicos, incluindo jardins zoológicos estrangeiros.

Outro animal interessante é o okapi. Parece um animal fofinho com orelhas grandes. O okapi é parente das girafas, com a sua língua comprida capaz de chegar aos olhos. Os zoólogos descobriram esta espécie há relativamente pouco tempo. Tudo porque os okapis são animais medrosos e reservados. E na natureza, vivem na zona florestal do Congo, em África.

Okapi em Jardim Zoológico de Lisboa

Okapi em Jardim Zoológico

SCREENSHOT

No Jardim Zoológico de Lisboa, o recinto dos okapis foi dividido em duas zonas: uma está disponível ao público e a outra não, para que o animal se possa esconder se o número de visitantes aumentar drasticamente.

Outra criatura espantosa é o koala. A sua terra natal é a Austrália. Este animal não é muito frequente nos jardins zoológicos europeus. O Jardim Zoológico de Lisboa tem um. São poucas as pessoas que conseguem ver um koala no seu ambiente natural, afinal, viajar para o continente australiano não está ao alcance de todos. É possível ver este animal invulgar ao vivo em Lisboa, Madrid e Viena.

O jardim zoológico é o lar de muitas aves diferentes, esta lista inclui:

  • papagaios cacatuas;
  • cegonhas;
  • corujas;
  • pelicanos.

Lisbon Zoo - Portugal HD

Separadamente, vale a pena falar sobre a alimentação dos pelicanos - uma "atração" original. É muito interessante observar estas aves. Os visitantes têm a impressão de estar a ver um documentário. Os pelicanos estão constantemente a "lutar" entre si pela comida. No seu clã de aves, este é o costume. É desejável observar esta ação à distância, porque as asas dos pelicanos são muito poderosas.

Existem várias zonas temáticas no jardim zoológico, onde a maioria dos animais caminha livremente no território que lhes é atribuído. É quase como na natureza, exceto que não há perigos e a comida é trazida pelos tratadores.

Teleférico no jardim zoológico

Como parte de uma viagem ao Jardim Zoológico de Lisboa, deve definitivamente dar uma volta no teleférico. Sobre o território do parque há cabines antiquadas que voam mesmo por cima dos recintos com animais. Ao baloiçar na curva seguinte, algumas pessoas têm até um sentimento de ansiedade, afinal, por baixo estão as jaulas de animais selvagens, como leões e outros predadores.

O teleférico do jardim zoológico é atmosférico, permite-lhe explorar o seu território a partir de uma vista aérea e obter uma experiência vívida. A vista do topo dos recintos com animais selvagens é algo de especial. Ao mesmo tempo, é possível ver a capital de Portugal de um ângulo ligeiramente diferente.

JARDIM ZOOLÓGICO DE LISBOA - TELEFÉRICO - I PARTE - 28 DE JULHO DE 2023 - Vitor Silva

Há sempre muitas pessoas dispostas a dar uma volta no funicular, especialmente porque a viagem é gratuita, só tem de pagar a entrada no jardim zoológico.

Espetáculo de golfinhos no Jardim Zoológico de Lisboa

Não menos popular é o dolphinarium, que tem espectáculos diários. Este sítio é chamado de "Baía dos Golfinhos". Durante o espetáculo, pode admirar as fantásticas criaturas marinhas. Não só os golfinhos, mas também os leões marinhos participam no espetáculo. Há muitas pessoas que querem ver um espetáculo invulgar, mas é preciso ter tempo para se sentar nas bancadas.

Os espectáculos na "Baía dos Golfinhos" realizam-se várias vezes por dia. No verão, às 11:00, 15:00 e 17:00, no inverno, às 11:00 e 15:00.

Pode ser fotografado com os participantes do espetáculo. Alguns até conseguem beijar golfinhos e leões-marinhos. A parede transparente da piscina proporciona um acompanhamento adicional durante o espetáculo. Através dela, é possível ver todas as manobras dos golfinhos, mesmo quando estão submersos na água. Os treinadores interagem constantemente com estas criaturas maravilhosas.

Os golfinhos e as focas cumprem todas as suas ordens, deliciando assim o público. O programa do espetáculo é muito rico e interessante. A sua visita está incluída no preço de um bilhete para o jardim zoológico. Um leão-marinho sorridente à procura de um abraço é uma visão que fica na memória durante muito tempo.

Todos podem ser fotografados com estes divertidos animais e golfinhos. As fotografias tiradas por um fotógrafo profissional são pagas. A maior parte das fotografias são encenadas, quando os animais marinhos do jardim zoológico beijam os visitantes na bochecha por ordem do treinador.

Pode sempre verificar o horário de funcionamento do fotógrafo e dos treinadores junto dos funcionários do parque.

Cemitério do Jardim Zoológico de Lisboa

O ponto alto do Jardim Zoológico de Lisboa é o seu cemitério. Há quem pense que uma excursão a um sítio destes traz tristeza. Cada um tem a sua opinião. Um passeio pelo cemitério, localizado no território do zoológico de Lisboa, pode ser bastante interessante.

A maioria das pessoas pensa que é aqui que os habitantes do parque estão enterrados - isto é um equívoco. Estamos a falar de um cemitério de animais de estimação. Ao olhar para as lápides, torna-se claro que os gatos e os cães são mais frequentemente enterrados aqui.

Cemitério do Jardim Zoológico de Lisboa

Cemitério do Jardim Zoológico

Foto da Internet

A primeira sepultura para animais de estimação apareceu em meados do século XX. Foi o enterro de um bulldog inglês. Ao longo de várias décadas, o cemitério aumentou consideravelmente de tamanho. Qualquer pessoa que não seja particularmente impressionável deve vir aqui para ver os monumentos com lápides. O cemitério de animais do Jardim Zoológico de Lisboa tem até mini criptas. Assemelha-se muito aos cemitérios humanos. No entanto, pode definitivamente ser incluído na lista dos cemitérios mais invulgares do mundo.

O Jardim Zoológico de Lisboa é um local concebido para um dia inteiro de excursão. É esse o tempo necessário para ver com calma a maior parte dos animais que vivem no seu território. Os visitantes famintos podem saciar a sua fome no café e no restaurante situados na zona da entrada. A excursão pode ser interrompida por breves instantes e retomada depois de um refresco.

Nenhum dos visitantes do Jardim Zoológico de Lisboa tem a ideia de que os animais do seu território não vivem bem. Todos os animais se caracterizam por uma disposição brincalhona, o que indica um bom estado de saúde. Este é um ótimo local para as crianças se familiarizarem com os habitantes da vida selvagem. Vale a pena incluí-lo no seu guia, não só para os lisboetas, mas também para os residentes de outras cidades portuguesas e, claro, para os visitantes de outros países. O mundo da vida selvagem está muito próximo, a sua contemplação permite esquecer por momentos os problemas quotidianos, para tirar o máximo prazer de uma visita ao jardim zoológico.